quinta-feira, maio 26, 2011

AO ENTARDECER



Imaginem como fiquei contente, ao receber por mail, uma poesia de uma querida prima, já com uma linda idade, mas ainda extremamente jovem no estar. Esta minha prima já tem vários livros publicados e é com muita alegria que aqui publico este poema da prima Lúcia, com muito carinho. Obrigada, prima pela sua lembrança!


Beijinhos grandes,
DAD




AO ENTARDECER



O céu enche-se de cores, ao entardecer
Ouvem-se os chilreios das avezinhas
É um burburinho na hora do recolher
Às árvores, onde estão suas caminhas

Fico a apreciar da música, a melodia
Do esvoaçar e o piar dos passarinhos
Há uma graça infinda nesta harmonia
No regresso dos animais, aos ninhos

Sente- se um sossego no fim do dia
Uma paz que entra na nossa alma
Enquanto a noite devagar, descia
E a natureza adormece em calma
Fernanda Lúcia

8 comentários:

Alle miliatt disse...

Ai que saudade da aurora da minha vida minha infância querida que os anos não trazem mais.

SOL da Esteva disse...

DAD

Eu já me havia despedido. Fiquei mais um pouquinho e eis que a Menina nos brinda com este belo Poema "Ao Entardecer" da Fernanda Lúcia.

Uma tranquilidade de Espírito que nos vem, ao Entardecer, e nos deposita nos braços de Morfeu; Místico e transmissor de Paz e Harmonia.

Belíssimo, DAD.

Beijo a ambas

SOL

Laura disse...

Menina Dadinha, eu só queria saber porque é que o tom tão lindod e azul quando entro nos comentários, dali a nada fica todo preto, impossivel ler, então faço copy e aparecem as letras a branco, deve ser alguma coisa que não está bem, ora faz favor de arranjar...

Lindissima a poesia e a forma de escrita, que bom que temos verdadeiras poetas entre nós.

Um xi apertadinho.

laura

Paixão Lima disse...

DAD,
Uma poesia romântica que fala de coisas belas da natureza.
Como o fado conhecido:
«La longe, ao cair da tarde...».
Um beijo.

Maria Eduardo disse...

Olá Amiga,
Obrigada por nos ter ainda deixado este lindo poema, antes de partir para a sua "tournée" artística... É um poema cheio de frescura e encanto, que só as pessoas de grande sensibilidade sabem transmitir aos demais.
Parabéns à Poetisa e à Prima.
bjs
m.eduardo

Dad disse...

Menina Laurinha, bom dia!
Cheguei ontem à noite e só agora abri o computador. Não sei responder à sua reclamação, pois no meu computador está tudo bem - as mesmas as cores, os posts correctos - não há manchas pretas, absolutamente nada... portanto não consigo dar resposta à reclamação de vós, senhora!
Beijinhos e vamos lá ver se a maleita passa.
Obrigada pela visita!
Beijinhos, Dad

Anónimo disse...

Olá Dadinha,

bonito poema o da tua prima!
aqui vai este que escrevi para uma noite de Café-poema no Café Cappucino´s em Carcavelos.
bjs

Lua

guardiã do nosso planeta
controlas as nossas marés, as nossas colheitas,
os nossos partos, os nossos ritmos
também nem sempre estamos numa boa fase
serão tantas quantas as tuas?
dás-nos luz a teu belo prazer
vá lá não cobras
fantástico, mais ainda em tempos de crise
de que partido és tu?

és vaidosa, caprichas em seres vista em luzes da ribalta
adorada que nem estrela de Hollywood
e o teu brilho fascina-nos, enche-nos a alma,
aqueces-nos nas noites de vida fria
os namorados, os que te vêm, deliciam-se de românticos
mas não te iludas
há quem não goste da tua cara de lua cheia
dificultas o trabalho de quem pela calada da noite procura o alheio

Lua companheira
dá-me Lua cheia na minha fase escura

27 Maio 2011
Ana Freitas

Laura disse...

Querida Dadinha, entro, está tudo lindo, letras brancas num fundo azul lindo, dali a segundos, as letras desaparecem quase e fica tudo coberto a preto...então lembrei de fazer copy e claro, aparece tudo em branco e azul, e só assim consigo ler, isso deve-se passar com meio mundo,

a maleita e a receita
para tão difícil assunto
será entrar por outro pc
e ver onde está o mal e porquê...

Do mal a menos vou conseguindo ler, mas nada mais fácil do que ficar sempre igual.

Um beijinho a tuuuuuuu.

laura