quarta-feira, junho 14, 2006

Andei pelas margens do rio que pintei,
pelo sonho... nas margens que defini,
perguiçosa saí para vos ver por aqui,
chamei por todos no silêncio das tardes,
dos males e da beleza do amor
ninguém conhece bem os contornos,
ninguém sabe definir onde termina a dôr
e começa a alegria,
voltei da madrugada, em que vivi,
sinto-me um pássaro em vôo,
bebo com fervor o dia a dia
deste rio que para mim salta sem embaraço,
daqui,vos dou a todos, meus amigos virtuais,
um grande abraço!